A vida vai te mostrar, vai te guiar.

Arquivo para junho, 2011

Manifestar-se sim. Ofender não!

No último final de semana ocorreu a 15ª Parada do Orgulho do LGBT, em São Paulo.

Acho interessante o movimento e respeito. Creio que a manifestação é válida e justa.

Porém, pudemos observar um comportamento nada salutar por parte de alguns que participaram diretamente da manifestação, com a utilização de imagens de Santos Católicos em estandartes, como São João e São Sebastião, inclusive com imagens nuas.

Tenho base e formação católica, porém, sou espírita Kardecista. Contudo, independente de minha posição religiosa, não concordo em absoluto com o que foi feito. A exposição das imagens dos Santos foi feita de maneira abusiva, grosseira e desrespeitosa.

O fato da Igreja Católica ou alguns de seus membros não aceitar os homossexuais, não dá o direito dos mesmos ofenderem valores morais e religiosos. Um erro não justifica o outro. Diga-se de passagem que a Igreja, realmente, não precisa aceitar, mas precisa respeitar e observar que é fato a existência do homossexualismo. Não dá para escapar!

A justificativa da utilização das imagens é alimentar o uso da camisinha. Mas, sinceramente, qual a relação das imagens dos Santos Católicos com relação sexual? Totalmente fora de conotação. Deboche puro! Não podemos aceitar estas manifestações onde valores e princípios individuais e sociais são ofendidos sem qualquer plausibilidade. Acaba-se perdendo a razão ou o objetivo do movimento.

As manifestações devem ser feitas pra alertar a sociedade em todos os seus aspectos, mas não devem ferir ou ofender qualquer tipo de valor ou sentimento.

Anúncios

Vítimas das enchentes de 2010 em Alagoas: 1 ano de infinita espera

Após uma semana atribulada de trabalho, afazeres pessoais, casa e outras coisas, finalmente, chegou sexta-feira. Estava cansada, bem cansada. Só queria chegar em casa e relaxar. E assim foi feito. Pois…

…no dia seguinte, 18/06, bem cedinho, comprometi-me com alguns outros amigos e blogueiros (@Marques_jm, @CanAlmeida, @LaiseMoreira, @fleming_al, @RinaldoOficial, @JoaoH.HolandaCaldas e outros mais), a visitar algumas das cidades que passaram pela cruel situação das enchentes de 2010: Murici, União dos Palmares, São José da Laje e Branquinha. Todos registramos em nossos blogs nossas impressões pessoais. Vale a pena ler!

Vi paisagens que ninguém gostaria de apreciar. Emocionei-me demais. Eu não parava de me indagar: como estas pessoas suportam esta situação? Como é que o governo permite que estas condições perdurem? Eu só acreditei, porque estava presente, porque vi com meus próprios olhos. Todos os outros blogueiros perplexos.

Logo após as enchentes em que as pessoas perderam praticamente tudo, quando não era tudo, foram distribuídas barracas para que pudessem temporariamente viver. Quer dizer, de temporário não tem nada. Tal situação estende-se desde a data fatídica…completou 1 ano. Se viver dentro de uma barraca daquelas por 1 mês já é um absurdo, quem dirá um ano!

Nas cidades de Murici e Branquinha a situação era bem complicada. Em União dos Palmares, menos pior. E a de São José da Laje era a mais amistosa, mas não menos lamentável.

Difícil é manter-se dentro das barracas, haja vista a alta temperatura. Instalações precárias, apertadas, desconfortáveis.

As cozinhas distribuem as refeições que são entregues para as pessoas que ficam um tempo considerável nas filas. Chegam cedo para poder comer na hora mais comum de almoço. Não há nenhum abrigo caso chova, enquanto aguardam nas filas.

Em Murici, os banheiros públicos são como fossas, barracas sujas, pioradas em razão da época de chuvas. Degradante.

Em Branquinha, para trabalhadores poderem ir de um lado da margem do rio para outro, precisam se utilizar de uma “balsa”, onde um único homem faz o transporte, pois a ponte ainda não foi terminada. Podemos ver, claramente, as marcas nas casas que registram até onde a água foi. Praticamente, no telhado.

Em União dos Palmares, o banheiro coletivo e a lavanderia estavam interditados, fechados. Um cheiro muito forte de esgoto. Crianças em situação caótica, maltratadas, carentes de absolutamente tudo.

Já em São José da Laje, como já citado, a situação era um pouco menos precária. Há uma mínima organização, limpeza, estrutura. Banheiros coletivos limpos, lavanderia funcionando, pessoas com produtos de limpeza em suas barracas, a cozinha possuia um cartaz com dicas de higiene, local para prestar assistência médica, odontológica e psicológica. O rosto das pessoas era mais receptivo do que nos outros alojamentos que visitamos, onde as pessoas, naturalmente, olhavam com desconfiança e curiosidade nossa movimentação.

Porém, apesar de um detalhe ou outro, a situação é desgraçada em todos os locais que visitamos. Falta de estrutura em sua amplitude: falta de segurança, falta de lazer, falta de higiene, falta de moradia, falta de esperança…excesso de uma realidade lamentável e que nenhum ser humano merece.

Oportuno, portanto, comparar a situação e mencionar o artigo 6º da nossa Constituição Federal que determina:

Art. 6º. São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados , na forma desta Constituição.

Nossa! Isto está cristalinamente determinado na Constituição Federal? Pois é…não estão sendo feridos apenas os direitos sociais, mas pior ainda, direitos éticos e fundamentais cabíveis a qualquer cidadão seja ele quem for.

Portanto, claramente concluimos que estas pessoas estão excluídas da sociedade. Pois se têm direitos, constitucionalmente garantidos, deveriam poder exercê-los em sua inteireza. Direitos estes que não dependem só da boa vontade do cidadão, mas depende da capacidade e competência do Estado em proporcionar o mínimo para que um ser possa se sentir humano, gente, cidadão. Não que aquelas pessoas não o sejam. São tão cidadãos quanto todos nós, mas o Estado faz questão de esquecê-los, fazendo de conta que não existem.

Estas pessoas são vítimas por duas vezes: das enchentes e do descaso dos “homens públicos”. Simplesmente, por serem humanos devem ser tratados de maneira digna, decente, humanizada.

Que Estado é este que deixa seus filhos a mercê da própria sorte? Como alguém pode se sentir seguro, amparado em um local que não oferece o básico? Como alguém pode acreditar ou ter esperança na mudança? Que tipo de mensagem poderíamos ter deixado para estas pessoas? Infelizmente, qualquer palavra dita em absoluto poderia fazer com que aquelas pessoas se sentissem melhores.

Podemos perceber a construção das casas próxima aos locais das enchentes, mas por que ainda não foram entregues? Não existe justificativa plausível para tamanha falta de compromisso.

Não sei porque tenho a impressão de que só serão entregues ano que vem! Em 2012: ano de eleição?! Estou sendo crítica ou pessimista demais?! Não, apenas realista.

Não podemos deixar esta situação perdurar. Temos que denunciar. Temos que, de alguma maneira, alertar a sociedade do que está ou não sendo feito. Imagina se vc deixa de pagar um imposto, uma multa…o que te acontece? Um erro não justifica o outro, mas é fato!

Quando retornei das visitas, voltei repleta de compaixão e revolta ao mesmo tempo. Não me serviram apenas como cidadã, mas como ser humano, pois agradeço mais ainda a vida que possuo. Eu e meus amigos blogueiros saimos da nossa zona de conforto e pudemos constatar que nossos semelhantes passam por uma situação degradante.

Vamos nos colocar, nem que seja às vezes, no lugar do outro. Isso é solidariedade! Quem é solidário não tem dor, não perde nada. Só ganha! Pois sente que cumpriu uma pequena parte nesta grande missão chamada vida.

IV EBA Alagoas: evento e movimento

Em 21 de junho, ocorreu o IV EBA, na UFAL! Pense num evento descontraído e útil ao mesmo tempo. Não é só um evento, é um movimento!

Palestras diversificadas com os queridos @Marques_JM, @jlinssilva, @PaulaMontnegro, @ronaldfar, @raphadoisreais, @AlbertoAntunes; sorteios; dicas; noções técnicas de utilização de ferramentas; troca de informações; reencontro de amigos blogueiros; aparecimento de novos companheiros nesta caminhada pela blogosfera. Compareceram blogueiros de várias cidades, das mais diferentes profissões. Uma mistura extremamente interessante!

Cada dia o evento ganha uma conotação maior. Cada vez mais vamos nos inserindo neste mundo tão amplo e com a participação individual dos blogueiros e tuiteiros ganha um colorido especial.

Parabéns a todos os organizadores, participantes, palestrantes.

Vamos em frente! Que venha o próximo EBA!!

Dia dos Namorados

Sei que a data está mais para o consumismo do que qualquer outra coisa. Mas, não vamos ver só este lado cinza da data.

Para aqueles mais conscientes e que possuem uma relação…por que não aproveitar e ter um dia diferente com o namorado (a)?

Para aqueles que estão brigados, pode ser uma boa oportunidade de reconciliação. Para aqueles que está tudo bem…um dia para fazer ou compartilhar algo diferente…um almoço, um presente, um dengo, flores e tudo o que vier a imaginação.

Para aqueles que estão sozinhos, pode ser um bom momento para pensar e jogar todas as boas energias para o astral para que venha um namorado (a) bem interessante! O amor está onde menos esperamos…

Não deixe de dizer o quanto a pessoa é especial, o quanto ela significa pra vc. Por mais que saibamos, ouvir não tem preço! Diga que o aceita como é e que mesmo com os defeitos, as brigas…tudo é melhor ou fica menos difícil, quando temos alguém para partilhar nossas alegrias e aflições. Uma relação é eterno aprendizado, é a chance que temos de nos conhecermos, de nos testarmos, de vermos nossos limites e saber que podemos superar tudo, quando o amor realmente existe!

Cada um tem sua vida, sua profissão, seus gostos, sua personalidade, mas nada mais gostoso que depois de um dia de trabalho, vc chegar em casa e contar como foi seu dia, ser recebido na porta de casa com um abraço, um afago, um beijo…e por aqueles breves, porém, relevantes minutos, saber que tudo acaba bem!

Aproveito este post e dedico a todos os enamorados, mas, principalmente, ao meu amor, amigo, parceiro, confidente José Marques (@Marques_jm). Amo-te do fundo do meu coração e agradeço a Deus compartilharmos nossas vidas, desejos, coisas boas, ruins….! Já dediquei a ele este simples poema de amor, mas é ótimo recordar e compartilhar nesta ocasião:

Suscetível

 

Não imagino como foi

A mente diz, dá dicas, intromete-se nas idéias do coração.

Agora, sei como é…

Mas, por vezes, ainda incomoda, porém, menos que antes.

 

No teu olhar, claramente, posso me ver

E sinto uma imensa ternura vindo de ti

Como pode ser possível!?

Sei que é real

Mas, reluto…menos que antes.

 

Creio que estou me rendendo

A idéia me incomoda

Mas, sei como é

Não é mais um conflito

Às vezes, é apenas resistência, teimosia

 

Tua presença

Torna-me suscetível

Torna-me delicada, fina

Mas, minha rotina torna-se mais concreta

Mais interessante, mais significativa

 

Neste momento sinto tua falta

E consigo te ver claramente

Sentir teu cheiro, teu toque, ouvir tua voz

E querer-te como uma criança ávida e curiosa

Torno-me suscetível…

Suscetível a ti dentro de mim

 

Suscetível a teus desejos mais débeis

Suscetível a teus sonhos e frescuras

Suscetível a tuas idéias frívolas e sagazes

Suscetível a tua dignidade, a tua verdade, a tua beleza

 

Procuro não mais me importar

Apenas sentir do fundo de minha alma

A susceptibilidade de me deixar amar

E de amar

Gislaine Migliati (26/01/2010)

 

E esta música do Roupa Nova com a Joana que é simples em seus dizeres, mas quem não gostaria de ouvi-los:

Um feliz dia dos namorados pra todos!

Desejo muito amor, muita sintonia, paz, entendimento, sabedoria pra todos que compartilham suas vidas com seus parceiros pra lá de especiais, com suas qualidades  e defeitos. O amor sempre vale a pena!

O “pobrema” na educação

Temos visto uma grande fiscalização nas instituições de 3º grau. Claro que a fiscalização é necessária, mas estão ocorrendo situações que podem expor as instituições. Vemos que sempre é lançada uma lista das instituições que não obtiveram nota satisfatória no ENADE. Mas, será que a fiscalização vem ocorrendo de maneira adequada?

Não vou adentrar muito profundamente a fiscalização ou seus métodos. Pois, minha real preocupação é:  por que não há fiscalização na educação de base? ensinos médio e fundamental? É lá que tudo acontece. É lá que passamos a maior parte de nossas vidas, absorvendo conhecimento básicos, lições de vida pra desenvolvermos, futuramente, nossa vida profissional.

O próprio governo aceita erros grosseiros de língua portuguesa, nosso idioma pátrio, liberando a utilização de cartilhas nas escolas. Justificando que se puder entender o que está dizendo, perdoam-se os erros. Absurdo! Um erro não justifica o outro. É irresponsabilidade. É expor a nação ao ridículo. Uma nação que não sabe escrever e entender a própria língua! Onde vamos parar?!

O que começa errado, termina errado! Como podemos pedir para que alunos das faculdades tirem uma nota satisfatória no ENADE, se não tiveram uma educação básica de qualidade. Os erros de ortografia, concordância etc são assustadores.

O que adianta vc apertar na fiscalização nas faculdades, se o ensino básico está solto, carente de atenção, como se não existisse? Quando o começo é calcado em bases concretas, verdadeiras, o sucesso futuro é natural.

Isto tem que se revisto, sob pena dos prejuízos serem cada vez maiores. Não gosto de ser pessimista, mas a situação é de urgência. Atitudes emergencias devem ser tomadas.

Estas cartilhas deveriam ser queimadas. Imagina os professores de português, literatura o que sentem?

A educação em nosso Brasil está doente. Precisa de tratamento intensivo.

Todos podem ter um mal dia…mas, só um!

Esta semana que passou foi complicada. Claro que tive bons dias, bons momentos, mas um dia em especial, quarta-feira, aborreceu-me sobremaneira. Confesso que me deixei envolver ( o que é raro!), pela tensão, irritação, por sentimentos nada nobres…mas, afinal, não sou perfeita…e creio que seja humana demais!

E neste dia fatídico, veio-me a lembrança da música do Legião Urbana, Perfeição.Esta música deixa muito bem registrado meu estado de espírito.

Apesar da revolta e aborrecimento, acredito piamente em dias imensamente melhores, produtivos, alegres, justos. Até porque todos merecemos!

Enjoy!

Perfeição – Legião Urbana

site http://www.vagalume.com.br

Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões
Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião
Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade.

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e seqüestros
Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda hipocrisia e toda afetação
Todo roubo e toda a indiferença
Vamos celebrar epidemias:
É a festa da torcida campeã.

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar um coração
Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado de absurdos gloriosos
Tudo o que é gratuito e feio
Tudo que é normal
Vamos cantar juntos o Hino Nacional
(A lágrima é verdadeira)
Vamos celebrar nossa saudade
E comemorar a nossa solidão.

Vamos festejar a inveja
A intolerância e a incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente a vida inteira
E agora não tem mais direito a nada
Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta de bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo issocom festa, velório e caixão
Está tudo morto e enterrado agora
que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou esta canção.

Venha, meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão.

Venha, o amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça:
Venha, que o que vem é perfeição

 

Nuvem de tags