A vida vai te mostrar, vai te guiar.

Arquivo para outubro, 2011

Mutirão: mobilização ou sacrifício?

Neste último sábado, o CEPA foi o palco do mutirão do Poder Judiciário com a finalidade de agilizar os processos em andamento pelos Juizados Especiais de Maceió.

Eu, particularmente, cheguei lá, 7:30h e permaneci até às 14:40h. Fiz audiências sem parar. Eram várias salas por onde os processos estavam distribuídos. Detalhe: eram várias salas e minhas audiências ficaram espalhadas. Fiz uma ginástica que nem me lembro como deu certo. Agora é fácil falar, mas na hora foi difícil, tenso!

Por óbvio, que ocorreram atrasos, um dos motivos mais aparente, foi que os notebooks “travavam” ou não respondiam aos comandos, devendo ser trocados. E, enquanto não trocados, todos tinham que esperar.

Um calor infernal. Muitas e muitas pessoas aguardando as audiências e as realizando. Falta de estrutura. Um sacrifício para todos que participaram, seja de qual lado estivessem.

Não sou contra o mutirão. Porém, não aprecio a maneira que foi feita. Foram algumas outras situações ocorridas.

Colocar todas aquelas pessoas no CEPA, que querendo ou não, não tem estrutura nem para o que se presta, imagina, para uma estrutura como o Poder Judiciário/Tribunal de Justiça? Audiências marcadas das 7/8 da manhã atá sabe-se lá que horas! Eu mesma saí de lá, eram 14:40h, e minhas audiência eram só pela manhã e se estenderam até à tarde! Imagino quem ainda tinha audiências na parte da tarde! Foi uma grande sacrifício: juízes que lá estavam, advogados, analistas, voluntários, funcionários de apoio, partes etc.

Daí me pergunto: por que não foi feito esta mutirão durante a semana? Os juizados funcionam até 13/13:30 todos os dias, porque, por exemplo, por uma semana, não estendem seu horário, para exclusivamente fazer só as audiências do mutirão? Usaria-se a própria estrutura, pessoal do Poder Judiciário, não precisando movimentar “um prédio inteiro” para as frágeis instalações do CEPA?

Acredito que a grande maioria das pessoas que participaram do mutirão, trabalham a semana toda e muito, e ainda, chegar num sábado e ficar à disposição para realizar audiências que poderiam perfeitamente serem distribuídas nos dias da semana. Realmente, ainda não vi as vantagens na realização do mutirão num dia de sábado fora das instalações do Poder Judiciário e com uma estrutura que deixou muito a desejar.

Questão de prioridade?

Num dia desses, estava eu no fórum, aguardando uma audiência. Estava marcada para às 14:30h, no setor de conciliação.

Cheguei antes do horários, assim como minha cliente.

É normal haver um atraso ou outro. Porém, neste dia, com um atraso de mais ou menos uns 40 minutos. Percebo que o nome chamado pela conciliadora foi a da pessoa da audiência seguinte da minha às 15h. Como sempre faço, leio a pauta e fico alerta quanto ao chamado das partes.

Imediatamente, dirigi-me aos bureau e perguntei o que poderia ter ocorrido, mas a pessoa não soube me dizer, e me orientou a extrair informações dentro da própria sala onde estava ocorrendo esta outra audiência.

Bati à porta e quando adentrei à sala, estavam os conciliadores, o advogado e as partes. E perguntei o por que a audiência seguinte a minha estava ocorrendo primeiro. Ficaram todos se olhando, sem falar nada e assustados. Então, o advogado, resolveu se manifestar e disse:

-Dra. é uma questão de prioridade!

Quando o advogado assim se justificou, passei meu olhar rapidamente pela pequena sala, e não vi nenhum indivíduo que merecesse atendimento prioritário, por exemplo, uma gestante, um idoso. Assim que fiz minha análise, disparei:

-Dr. não vejo qualquer pessoa nesta sala que se encontre nestas condições e que mereça atendimento prioritário.

Já bem sem graça, continuou o advogado:

-Dra. é que a filha de minha cliente está no hospital para dar à luz, e ela está aflita pela filha.

No mesmo momento, eu perguntei, bem cinicamente (c0nfesso):

– Mas, sua cliente é a parteira? ela que fará o parto da filha?

Daí em diante, não houve mais nenhuma palavra. Por parte de ninguém! E exigi que registrassem a audiência de minha cliente, que não havia tido sorte quanto á citação da outra parte.

Fiquei imensamente revoltada. Pois se eu não estivesse lá, minha cliente, por ser pessoa simples, não teria nem percebido a artimanha.

Enquanto eu praguejava, apareceu uma conciliadora, e como as audiências da sala dela haviam acabado, gentilmente, realizou a minha.

Quero deixar claro algumas coisas em relação a este lamentável fato:

a) o advogado se dar ao papel de uma justificativa cretina desta! Que vergonha!;

b) se ocorreu a audiência, foi porque o advogado pediu e o setor de conciliação permitiu. O que também não tem justificativa;

c) se fosse o caso de prioridade, seria de bom tom que avisasse a mim ou minha cliente sobre o que estava ocorrendo;

Ninguém me justificou o ocorrido ou veio se desculpar, pelo menos. Nada mesmo. Foi um total desrespeito, descaso, irresponsabilidade! Inadmissível o advogado se prestar a um papel deste, sem o menor cuidado!

E pra concluir, quando saimos todos de nossas, respectivas, salas, estavam lá o advogado com sua cliente, rindo, caminhando calmamente pelo fórum e aliviados. Não me contive e fui dizendo umas “gracinhas” nem tão engraçadas assim!

2º Prêmio Alagoano de Blogs



No último dia 20, ocorreu a entrega da premiação para os vencedores nas mais diferenciadas categorias do 2º Prêmio Alagoano de Blogs.

Desde o começo do ano, muitas reuniões, trocas de emails, telefonemas, sugestões, idéias e muito trabalho por parte de todos: nós a equipe organizadora @gimigliati (eu) @Marques_jm @ronaldfar @paulamontnegro @eekdcat.

Até que o evento realmente aconteça, não temos a real idéia da dimensão e dos resultados. O evento foi lindo, sensacional! Sob meu ponto de vista, fiquei encantada, feliz, satisfeita, surpresa! Que felicidade ver um plano, um projeto se concretizar, ganhar forma, sentido!

Foram 14 categorias e seus ilustres vencedores foram:

Arte e Música: Sirva-se – http://sirvase.net/

Cidades, Meio Ambiente e Sustentabilidade: CSG Sustentável – http://csgsustentavel.wordpress.com/

Comunicação: Alagoas Criativa – http://www.alagoascriativa.com.br/

Corporativo e Melhor Blog: Mammoth – http://www.mammothstore.com.br/blog/

Educação: Profissão Dentista – http://www.profissaodentista.com.br/

Esportes e Games: Lets Dive – http://explorerdiving.com.br/blog/

Literatura: Éramos Apenas Pedras – http://karolinecoelho.blogspot.com/

Moda: Le Mouse – http://www.lemousse.com.br/

Opinião: Oras Bolas – http://leoarcoverde.wordpress.com/

Política: Blog do Fleming – http://cadaminuto.com.br/blog/fleming

Profissional: Vida de Executivo – http://www.wesleybs.com/blog

Religião: Capela de Fátima – http://capelladefatima.blogspot.com/

Tecnologia: Web Diálogos – http://www.webdialogos.com/

Variedades: O que uma noiva precisa saber? – http://www.oqueumanoivaprecisasaber.com/

Parabéns a todos os vencedores e àqueles que participaram com seus blogs maravilhosos. Não deixem de alimentar seus blogs, atualizem sempre, pesquisem, cuidem de seu blog, pois ele merece todo seu carinho, atenção e responsabilidade.

Logo após a premiação que foi no MaiKai, os vencedores, seus convidados e os demais, pelo qual Gil foi quem nos recebeu super bem junto com seus funcionários. Rolou uma festa animadas e deliciosa, onde continuamos a interagir e trocar informações.

Aguardem, pois a terceira edição não tardará a dar notícias!

Uma sugestão de leitura interessante e emocionante é a contida no post do Blog do Richard Plácido http://www.elegiaplacida.com.br/2011/10/quero-contar-aos-meus-netos-como-foi.html. Achei simplesmente sensacional. Todo blogueiro que se preze irá se identificar e se ver na situação! Parabéns ao querido blogueiro Richard!

Nossos patrocinadores e os apoios foram importantes e com imenso prazer que agradeço por toda colaboração: Maresia, Faculdade Mauricio de Nassau, Kocmoc Jeans, Mix Brindes, Colégio Contato e Point Radical. Agradeço ainda O Espalhaí, Chico Brandão e a ID5. E, também, aos nosso caríssimos jurados.

O evento foi um sucesso, positivo, cheio de boas vibrações, ótimos contatos, novas amizades. Foi um prazer imenso fazer parte deste 2º Prêmio Alagoano de Blogs!

Aguardem o 3º…tchan, tchan, tchan, tchan!

Dia dos Professores

O que é ser professor?

Pergunta simples, porém de uma dimensão sem igual.

Ser professor: é missão; é necessário ter o dom; ter paciência…muita paciência; saber dizer sim e não na hora exata; precisa de comprometimento; tem que saber usar seu lado humano e profissional com equilíbrio; tem que ser humanista com uma pitada de firmeza, exigência, sabedoria, bom humor, jogo de cintura, carisma, postura, amor próprio.

Já era apaixonada por direito. Quando me tornei advogada, certifiquei-me de que era isso mesmo que queria para minha vida pessoal e profissional. Mas, quando comecei a ensinar, daí então, renovei meus votos de amor e paixão pelo direito, podendo contribuir com meus alunos em sua formação e na caminhada rumo a sua realização profissional. Torço pra que tenham e experimentem da mesma realização que vivo.

Ser professor é árduo, algumas vezes, até sofrido, angustiante, desgastante tanto física, mental quanto psicologicamente, mas a maioria das vezes, a satisfação estufa meu peito de alegria, de prazer, de orgulho por colaborar para que meus caros alunos construam uma vida profissional tão maravilhosa quanto a minha.

Mas, apesar de toda minha realização, vejo desprezo, desconsideração e desrespeito pela atividade do professor. Não vejo políticas públicas eficazes na esfera educacional e valorizando a profissão; não vejo pais e mães orientarem seus filhos para que respeitem o professor; vejo atitudes agressivas e desorientadas sendo tomadas contra o professor; vejo alguns colegas que só são professores para ter “status”, sem realmente amarem e se importarem com o que fazem; vejo descaso pelas instituições de ensino com o próprio corpo docente e tantas outras situações pelas quais o professorado tem passado.

Temos que valorizar estes profissionais. Tem que ser dadas condições de trabalho. As instituições tem que oferecer guarida e apoio para os que vestem a camisa e fazem de seu trabalho uma missão. A política salarial dos professores tem que ser revista. Tem que ser feitas campanhas de valorização do professor, mostrando sua função, sua responsabilidade.

Há muito a fazer sim não só quanto aos professores, mas também, o que se relaciona com a educação.  Desejo pra que a sociedade retorne a respeitar seus valores mais básicos e que os políticos revejam e apresentem projetos relevantes na área da educação.

Pra não perder o costume, algumas pequenas mensagens e a oração do professor:

O professor só pode ensinar quando está disposto a aprender (Janói Mamedes)

Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. (Cora Coralina)

Marcha contra corrupção

No dia 12/10, quarta-feira, além da comemoração pelo dia das crianças e pelo dia de nossa Padroeira Nossa Senhora Aparecida, ainda ocorreram várias manifestações contra a corrupção e a impunidade em vários estados brasileiros.

Estas várias manifestações foram principalmente organizadas pelas redes sociais, em especial, através do facebook. E, aproximadamente, 28 cidades brasileiras, distribuídas pelos 17 estados, organizaram o movimento contra a impunidade, constitucionalidade da lei da ficha limpa, fim do voto secreto.

Importante anotar o apoio e a participação direta das entidades: OAB, CNBB e ABI.

Pude participar do evento na cidade de Maceió/AL, quando não mais de 70 pessoas compareceram e participaram da caminhada. A concentração foi em frente a praça 7 coqueiros, caminhando até chegar em frente ao Alagoinhas, quando foram feitos discursos e manifestos de membros da sociedade, da política, jovens estudantes etc.

Mesmo com poucas pessoas participando da caminhada, creio que é só o começo e com uma publicidade maior e mais eficaz através das mídias sociais, o movimento poderá alcançar um número cada vez maior de membros da sociedade.

Não podemos nos conformar com os escândalos que vêm, incessantemente, ocorrendo, e com certeza, estes eventos podem reforçar e ampliar a idéia de que estamos de olho em tudo e em todos. A participação nestas situações dá uma sensação de que não estamos sozinhos e que existem pessoas que também torcem fortemente pela decência, honestidade, dignidade e respeito.

Todos nós temos a obrigação de tornarmos nossa sociedade mais justa, mais humana, mais solidária. E quando fazemos nossa parte e ainda reunidos a mais pessoas na mesma direção, tudo ganha um contorno mais relevante.

Não deixem de participar da próxima marcha que será dia 15/11, às 14h, na Praça 7 Coqueiros. Participe!

Informações http://www.facebook.com/event.php?eid=293549890658293

Feliz dia das Crianças. Feliz?

Num dia destes, estava indo pro trabalho, quando a minha frente avistei uma menininha.

Ela não tinha mais que 10 anos. Corpo franzino, cabelos longos e claros, encaracolados nas pontas. Apesar do tamanho e pouca idade, caminhava decidida e ávida para chegar ao seu rumo. Sua escola. Tinha no olhar um ar de surpresa e medo ao mesmo tempo. Parecia que era a primeira vez que estava ali, mas a vontade e a curiosidade a impulsionavam.

Emocionei-me por breves instantes… e lembrei-me da minha doce e divertida infância. Nooossa, que tempo único, valioso, mágico, destemido…que saudades! Contive-me, pois as lágrimas surgiram. Coloquei meus óculos escuros e segui minha caminhada, pois estava indo trabalhar.

Porém, na imagem daquela menina, voltei ao tempo onde todo tempo era vivido intensamente. Eu fui uma criança travessa, divertida e mal humorada ao mesmo tempo, responsável, bem educada, autoritária. Meus pais foram presentes, e principalmente minha mãe, disciplinadora, uma fera! Ensinaram-me lições que jamais esquecerei. Não esquecerei nem das palavras e conversas, como também das surras e castigos que tomei…confesso que alguns exagerados, mas outros muito bem dados e merecidos.

Graças a Deus, tenho amigos de infância ainda. E mesmo tendo mudado muito, cada um tem sua vida, ainda guardamos em nós aqueles tempos tão preciosos. Quando nos falamos, só sentimos boas vibrações.

Guardo com orgulho e grande satisfação e alegria aqueles tempos tão doces, tão significativos, mas por um outro lado, não consigo captar a mesma sensação da infância vivida hoje. Será que nossas crianças vivem a infância da maneira que merecem e precisam?

Quanta violência e descompromisso com as crianças nos dias de hoje. É imensuravelmente incompreensível! Quantos atos covardes e inescrupulosos tem sido praticados contra as crianças.

Criança merece respeito, bons tratos, amor, dedicação, educação. Se não pode dar isso, não as tenha. E se quer tê-las mas não pode, adote! Mas, independentemente de como fará, se o fizer, faça com verdade, integridade, dignidade, paciência. Criança é gente, é ser humano, e se bem tratada e orientada, será um adulto incrível. Criança é semente que se bem tratada, tornar-se-a a mais bela das flores. Uma parte do que a criança se torna, querendo ou não, é reflexo daqueles que a criaram. Quando educamos uma criança, não precisaremos castigá-la ou repreendê-la quando adolescente ou adulto, pois ela efetivamente se recordará das lições aprendidas na infância.

A melhor maneira de tornar as crianças boas, é torná-las felizes. (Oscar Wilde)

Quando vejo uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura, pelo que é, e respeito pelo que pode vir a ser.(Louis Pasteur)

Devemos levar em conta não só a vida familiar destas crianças. A sociedade deve dar um basta nas atitudes de pessoas que insistem em maltratar covardemente estes pequenos seres indefesos; devemos levar em conta e cobrarmos a obrigação do Estado em proporcionar uma realidade menos dolorosa para milhares de crianças que não tem a menor orientação; mais campanhas contra a violência e o descaso com as crianças devem ser efetiva e continuamente veiculadas nos meios de comunicação; as fiscalizações mais eficazes e punições devidamente aplicadas.

Torço incessantemente por um presente mais digno e um futuro brilhante para todos nós, e principal e especialmente, a nossas crianças. Vamos tratá-las com o respeito e amor que realmente merecem e precisam para se tornarem adultos realmente bons, orientados, equilibrados.

Finalizo mencionando, oportunamente, a declaração dos direitos da criança e do adolescente (Unicef):

1. Todas as crianças são iguais e têm os mesmo direitos, não importa sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.

2. Todas as crianças deve ser protegida pela família, pela sociedade e pelo Estado, para que possa se desenvolver física e intelectualmente.

3. Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.

4. Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico, antes e depois do seu nascimento. Esse direito também se aplica à sua mãe.

5. As crianças portadoras de dificuldades especiais, físicas ou mentais, têm o direito a educação e cuidados especiais.

6. Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.

7. Todas as crianças têm direito à educação gratuita e ao lazer.

8. Todas as crianças têm direito de ser socorrida em primeiro lugar em caso de acidentes ou catástrofes.

9. Todas as crianças devem ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.

10. Todas as crianças têm o direito de crescer em ambiente de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Aborto

O aborto é assunto delicado, devendo ser tratado com atenção e responsabilidade.

Qualquer mulher que sofre o aborto por razões alheias a sua vontade, por uma condição física que não lhe permite, até então, seguir com  a gravidez em frente, sente-se, pessoalmente, insegura, incapaz, ferida. Claro que isso é temporário, até se recuperar e novamente estar em condições físicas e emocionais para gerar uma nova vida.

Se de uma maneira inconsciente, é difícil tal situação, tento imaginar aquela mulher que opta, conscientemente, em realizar o aborto. Por favor, não estou aqui, criticando quem o faz. Afinal de contas cada um sabe de si. Estou levantando a questão que a decisão em si pode trazer após a consumação do ato, sejam por quais questões forem, pessoais, religiosas, jurídicas, sociais etc, deve ser imensamente árdua, amarga.

Alguns são contra a descriminalização do aborto, outros não. Debate relevante, porém, perigoso e que deve ser analisado com cautela. Uns consideram o aborto um crime contra a vida, e outros o consideram um direito que a mulher tem de dispor de seu corpo com autonomia.

Não devemos esquecer que há previsão legal para que se efetue o aborto, sendo oportuno ressaltar que em nosso Código Penal, em seu artigo 128, que autoriza o aborto em dois casos específicos, quais sejam:

Art. 128 – Não se pune o aborto praticado por médico:

        Aborto necessário

I – se não há outro meio de salvar a vida da gestante;

Aborto no caso de gravidez resultante de estupro

II – se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.

E, ainda, esta se discutindo sobre a possibilidade de liberação de aborto de anencéfalos, haja vista que em sua esmagadora maioria, nascem sem vida ou sobrevivem apenas alguns dias após o parto.

Além deste ponto, leva-se em consideração também: qual o exato momento em que se considera o início da vida? Existem algumas teorias que levam em consideram para garantir seu início:  quando há a fecundação;  quando o feto se fixa na parede do útero; quando iniciada a atividade cerebral que é por volta de oito semanas de gestação; entre outras. Estas teorias são consideradas tanto na esfera jurídica como religiosa.

Mas, independentemente de teorias, quero levantar que sempre que ouvi ou vi alguma mulher passar por esta situação, o processo até se chegar a decisão final, e a própria decisão em si, é extremamente difícil, angustiante, sofrido, e que na maioria das vezes, após o feito, aquela que praticou, arrepende-se, e creio que levam por toda a vida culpa dentro de si.

Acho mais interessante que para o número de abortos diminuir, principalmente, na adolescência, até porque o aborto também é praticado por todo tipo de mulher seja qual for sua condição econômica, social ou profissional, é apresentar campanhas severas e eficazes de educação sexual. Porque para muitas pessoas, pode-se considerar o aborto como uma grande escapatória para a falta de irresponsabilidade por não saber levar uma vida sexual madura.

Não consigo admitir o que pode passar na cabeça de uma mulher, quando se vê inesperadamente grávida e que nem por isso esperava! Creio que deve dar uma sensação de desconforto, medo à primeira vista…mas, até o ponto de pensar, e realmente colocar em prática o aborto? Por que não assumir uma responsabilidade que você mesma produziu por sua mera falta de cuidado? Se aquela criança foi gerada, é porque tinha algo a acrescentar. Não temos o direito de condenar uma criança, por uma atitude minha mal planejada.

Será que a mãe prefere abortar e carregar dentro de si esta culpa, este peso a assumir seu filho? Entendo plenamente que deve dar uma frio na barriga, um receio desta experiência tão única, mas a ponto de não deixar aquela vida prevalecer! Eu não conseguiria. Assumiria meu filho seja de que forma fosse e cuidaria dele, pois se foi enviado é porque tenho que cumprir mais esta missão.

Alguns admitem que o aborto é uma forma que a mulher tem de dispor de seu corpo da maneira que melhor lhe convier, e quando há imposições legais, estas vem suprimir-lhe este direito. Daí então pergunto: mas antes de engravidar, e por ser tão independente, por que não se cuidou, não se preveniu da maneira mais adequada? Isso sim é que é livre disposição de seu corpo, levando em conta a consciência pelos atos efetuados e que devem ser assumidos.

Pessoalmente, acredito que a maneira menos sofrida e que trará melhores condições pessoais de seguir em frente é assumir e deixar a gravidez seguir seu rumo normal. Não abra mão de proteger a vida, vida esta que você colaborou efetivamente para que se originasse.

Portanto, não concordo com a ampliação das opções em descriminalizar o aborto. Nosso país não é tão maduro para que uma idéia desta seja amplamente difundida e liberada.

Nuvem de tags