A vida vai te mostrar, vai te guiar.

Arquivo para dezembro, 2011

Um tapinha não dói!

A chamada  “Lei da Palmada” foi aprovada na Câmara. Ainda passará pelo crivo do Senado.

Esta lei vem propor a punição aos pais que castigam seus filhos através das palmadas (castigo físico), prevendo penas socioeducativas e até o afastamento de seus filhos. A lei também traz algumas emendas ao estatuto da criança e do adolescente, uma vez que determinava a punição por maus tratos, mas não havia conceituado o que era.

Mas, sinceramente: era só o que estava faltando mesmo!

O Estado deve interferir na educação que os pais dão aos seus filhos? ou ainda controlar os métodos de como educa seus filhos? O Estado não faz sua parte e vem dizer aos cidadãos como educar seus filhos??

Como sempre o Estado inventa determinadas situações para maquiar outras. Tira nossa atenção para um assunto, quando o foco deveria ser outro.

É o absurdo dos absurdos! Só falta eles colocarem policiais na casa de cada família para vigiar, quando tantos assaltos e violência estão em nossas ruas.

Falta: educação, saúde, segurança, fiscalização maior quanto à corrupção e a efetiva aplicação da pena, políticas públicas de emprego, e tantas outras coisas tão mais relevantes quanto isso.

Os pais não “podem bater”, mas o Estado pode deixar de fiscalizar a estrutura de suas escolas, de oferecer a merenda às crianças e material didático adequado.

Quanto incoerência! É assim, quando não tem se nada de bom a fazer, faz-se o que não deve. Cabeça vazia, casa do diabo! O Estado ao invés de se preocupar com o que realmente deve, preocupa-se com as palmadas que os pais dão em seus filhos.

Quantas mulheres comparecem às delegacias dando queixa de seus maridos violentos, e que por várias vezes, acabam mortas pois não foi dada a atenção devida, achando um exagero por parte das vítimas.

Não tem lógica, diante de tanto descaso do Estado que agora, queira impor limites à educação imposta pelos pais.

Tomei umas boas palmadas e castigos quando criança e não me deixaram sequelas, traumas, muito pelo contrário, disciplinou-me, ensinou-me, impôs limites. Sabia que tinha a presença de pessoas que zelavam por mim e pela min ha educação. Sabia que se fizesse algo errado, o castigo viria. Não repetia mais as baboseiras que tinha feito. Uma surra bem aplicada e no momento certo, é um santo remédio sim! Nem sempre uma conversa resolve determinadas situações.

Inclusive as “crianças mais espertas”, mais maduras, poderão se utilizar desta lei para ameaçarem os pais que se baterem ou fizerem qualquer tipo de imposição. Os pais poderão se tornar reféns. Situação esta já narrada por várias pessoas.

Não concordo com a violência gratuita a nenhum ser humano, mas a imposição destes limites é ridícula e não trará nenhum benefício as crianças, que por sua natureza são tiranas e não entendem até onde podem ir. E é nesta hora do abuso por parte da criança, que a palmada vem para alertá-la! É claro que toda vez que uma criança está sendo reprimida, ela deve saber o por quê está sendo, tem o direito de saber dos motivos que a levaram a ser castigada.

O Estado mais uma vez pecou. Não faz o que deve ser feito e se intromete onde não deve. Muito faz quem não atrapalha!

Anúncios

Você foi um bom menino?

2011 está chegando ao final. Que ano corrido!

Geralmente, é tempo de colocarmos na balança as perdas e os ganhos ou pararmos alguns momentos pra pensarmos o que passamos, o que fizemos durante todo ano.

Qual o seu balanço pra 2011? Foi bom ou ruim? Você aprendeu a lição? Você entendeu os recados? Você foi mais você ou se valeu da opinião do alheio? Você conquistou novos amigos? Manteve os antigos? Desfez amizades? Progrediu em seu trabalho, na sua vida pessoal? Cuidou-se!?…

Quantas considerações, como nossa vida é complexa! E por isso mesmo, temos que tentar levá-la da maneira mais flexível possível. Com jogo de cintura, humor. Aceitar a vida de peito aberto e o que vier, agradecermos.

Algumas situações, podem nos frustrar, mas creio que nos frustramos porque esperamos demais. Se acordarmos todos os dias e vivermos, simplesmente vivermos, e fazermos nossa parte…naturalmente, as coisas, as conquistas, os presentes virão até nós! Tudo tem seu momento certo. Sempre escutava isso de minha mãe e ficava brava com isso. A mais pura verdade e a mais simples das lições.

Não quer dizer que tenhamos de ser passivos e aguardarmos as coisas acontecerem. Temos que querer, podemos ter sonhos e querer realizá-los. Mas, precisamos plantar boas sementes. Ás vezes queremos tanto uma coisa, ficamos tão vinculados a primeira idéia, que não conseguimos enxergar caso venha outro resultado, e acabamos acreditando que “as preces não foram ouvidas”!

Claro que não é tão simples, mas é uma boa tática. Acordar; pensar coisas boas; trabalhar; construir; colaborar com os outros; tratar as pessoas com gentileza e se não tiver nada de bom pra dizer, cale-se; se tiver de mau humor, é problema seu; ser um bom amigo; ser responsável; ser cuidadoso; acrescentar algo na vida de alguém etc.

O que você fez por dias melhores? Não podemos desejar dias melhores, se não fizermos nossa parte.

Para ser um “bom menino”, não é necessário ser perfeito. Ser bom ou ser mau…todos temos ambos, o bem e o mal, dentro de nós, depende do que você escolher! E, independentemente da escolha, assuma as consequências.

O importante é fazer um bom trabalho, e se não puder atrapalhar, já é grande coisa!

Desejo que todos encontrem as respostas para suas angústias, o remédio para suas dores, o conforto nos momentos de dúvida, a luz nos momentos de tristeza, a força e coragem dentro de si para seguir em frente e aceitar a vida com seus desafios e suas bençãos.

E pra embalar e melhor aproveitar estas idéias, compartilho esta música do Arlindo Cruz. Enjoy!

O Bem – Arlindo Cruz

O Bem, ilumina o sorriso
Também pode dar proteção
O Bem é o verdadeiro amigo
É quem  o abrigo
É quem estende a mão

No mundo de armadilhas e pecados
Armado, tão carente de amor
Às vezes é bem mais valorizado
Amado, endeusado e quem é traidor
E o Bem é pra acabar com o desamor

Se a luz do sol não para de brilhar
Se ainda existe noite e luar
O mal não pode superar
Quem tem  pra rezar diz amém
E ver que todo mundo é capaz
De ter um mundo  de amor e paz
Quando faz  o bem
Quando faz  o bem

O Bem, ilumina o sorriso
Também pode dar proteção
O Bem é o verdadeiro amigo
É quem  o abrigo
É quem estende a mão

No mundo de armadilhas e pecados
Armado, tão carente de amor
Às vezes é bem mais valorizado
Amado, endeusado e quem é traidor
E o Bem é pra acabar com o desamor

Se a luz do sol não para de brilhar
Se ainda existe noite e luar
O mal não pode superar
Quem tem  pra rezar diz amém
E ver que todo mundo é capaz
De ter um mundo  de amor e paz
Quando faz  o bem
Quando  faz o bem

Comemoração Revista Due

No último dia 01 de dezembro, a Revista Due, comemorou seu primeiro ano de existência e muito sucesso!

A festa foi ótima, linda, um ambiente agradável do Regente, cheio de gente bonita, uma comida gostosa da Bodega do Sertão, sorvetes da Delícias do Cerrado, bebidas diferentes, música de boa qualidade, papo descontraído, reencontro com amigos.

A comemoração foi bem merecida!

É sensacional presenciar o resultado de um trabalho feito com competência, esforço, alegria. Valná e Larissa dois expoentes no mundo da publicidade, da moda, da comunicação e muito mais. É sempre bom encontrá-las. Sempre dispostas, educadas, alegres e cheias de vontade de vencer. No twitter sempre interagindo e respondendo e dando atenção aos seus  leitores. Uma missão que estão cumprindo com louvor!

E conseguem cada vez mais conquistar e superar desafios!

Agradeço o convite. Fiquei muito feliz de participar. Sou mais uma fã que torce muito pelo sucesso de vcs!

A revista é ótima e cada vez trabalham mais para que melhore…se é que é possível ! Muito bem confeccionada, com notícias e informações interessantes, colorida, linda de ver, criativa, prática de levar. Vale a pena conferir!

Parabéns a Revista Due, a Valná, a Larissa e a toda equipe!! Sucesso hoje e sempre!!

Nuvem de tags